Instaltec Tecnologia em Instalações
  • compromisso
    com a qualidade,

    responsabilidade
    e satisfação

    plena dos clientes

  • Aliando a

    Tecnologia,

    Furukawa e a

    Garantia TIA/ISO

    de Qualidade

    pode ficar

    tranquilo

    sua empresa está

    em boas mãos

  • redes projetadas de

    forma personalizada

    para cada situação.

    a instaltec

    oferece suporte

    a toda as suas

    necessidades

    em redes de

    computadores

NOVIDADES

Página Inicial / Sem categoria /
10 projetos inusitados comprados pelo Google

10 projetos inusitados comprados pelo Google

19 de junho de 2018

Até o momento, o Google já comprou 182 empresas e muitas delas são especializadas em produtos ou serviços nada convencionais. Com um valor de mercado de cerca de US$ 436 bilhões, a gigante da web pode se dar ao luxo de conhecer mais a fundo diversos setores do mercado.

Entre serviço de criação de playlists inteligentes e aplicativos dedicados às crianças, o Google parece já ter se metido em todos os cantos possíveis relacionados à tecnologia. As 10 maiores aquisições feitas pela empresa totalizaram US$ 24 bilhões – isso considerando que a maior parte dos detalhes financeiros por trás dos quase 200 negócios adquiridos por ela nunca vieram a público.

A maior parte dessas startups e empresas está sob o controle da recém-criada holding Alphabet. Para vislumbrar melhor a variedade da empresa de Mountain View na hora de adquirir novos negócios, veja uma lista com as 10 empresas mais loucas que o Google já comprou até agora:

1. Aplicativo para criar desenhos em 3D

No dia 16 de abril de 2015, o Google anunciou a compra de uma empresa chamada Skillman & Hackett, um estúdio conhecido por ter criado o app Tilt Brush. A gigante das buscas não revelou os valores da negociação.

O que ele faz: O Tilt Brush permite que pessoas usando equipamentos de realidade virtual, como os já conhecidos óculos, façam desenhos em 3D.  É possível escolher entre uma variedade de pincéis que, inclusive, permitem animar aquilo que você desenhar.

Integração: O app se integra com o Google Cardboard, os óculos de realidade virtual feitos de papelão que, utilizados juntamente com um smartphone, permitem experimentar aplicações de realidade virtual, incluindo as imagens 3D criadas usando o Tilt Brush.

2. Fones de ouvido que permitem ouvir áudio 3D

No mesmo dia em que adquiriu a criadora do Titl Brush, o Google anunciou a compra da THRIVE, uma empresa que nasceu no departamento de engenharia de uma universidade em Dublin, na Irlanda.

O que ela faz: A THRIVE cria fones de ouvido que permitem aos usuários experimentar o chamado áudio 3D. É difícil conceituar o áudio 3D, mas podemos dizer que, essencialmente, ele reage aos movimentos do ouvinte num cenário virtual, representando altura, profundidade e distância.

Integração: Assim como o Tilt Brush, o THRIVE se integra com o Google Cardboard.

3. Inteligência artificial que custa caro

Em 2014, o Google anunciou a compra da startup britânica de inteligência artificial DeepMind Technolgies. Não foram revelados valores exatos, mas a informação é que as negociações custaram entre US$ 400 e US$ 500 milhões.

O que ela faz: Fundada em 2011 em Londres, a DeepMind Technolgies é conhecida por desenvolver algoritmos que permitem que vários tipos de software, como simuladores, sites de comércio online e jogos eletrônicos consigam aprender e se adaptar ao comportamento dos usuários. A inteligência artificial desenvolvida pela empresa é capaz de vasculhar as redes sociais numa velocidade recorde em busca de padrões e aprender a jogar 49 títulos do Atari 2600 mesmo recebendo o mínimo de informações sobre eles.

Integração: Nenhuma. Ela foi transformada numa tecnologia própria do gigante da web e passou a se chamar Google DeepMind. De acordo com o site, a missão do projeto é “combinar as melhores técnicas de aprendizagem de máquina e sistemas de neurociência para construir poderosos algoritmos de aprendizagem de uso geral”.  

4. Empresa que criou os efeitos especiais do filme ‘Star Trek’


Em agosto de 2014, o Google comprou a Zync Render, empresa responsável pela criação dos efeitos especiais de filmes como Star Trek: Além da Escuridão, O Voo, Trapaça, Looper e Transformers. Os valores das negociações não foram divulgados pelo Google.

O que ela faz: A Zync fornece ferramentas de renderização baseadas na nuvem para empresas de efeitos visuais. A empresa costumava usar uma nuvem pública na Amazon Web Services, tornando a aquisição um duro golpe para a multinacional de comércio eletrônico. Agora, a companhia faz parte da equipe que trabalha nos serviços na nuvem do Google, a Google Cloud Platform.
Integração: Google Cloud

5. Drones movidos a energia solar

Em meados de abril de 2014, o Google comprou a Titan Aerospace, uma fabricante norte-americana que possui uma série de unidades de pesquisa e desenvolvimento no estado do Novo México, nos EUA. A gigante da web não divulgou publicamente o valor do negócio, mas o Facebook já havia demonstrado sua intenção de pagar US$ 60 milhões pela empresa.

O que ela faz: A Titan Aerospace desenvolve drones movidos a energia solar capazes de, teoricamente, voar por até cinco anos. Os veículos aéreos não-tripulados da Titan podem fornecer serviços de dados e de voz, além de capturar imagens da Terra e carregar sistemas de sensores atmosféricos.

Integração: A Titan auxilia o Google numa série de projetos, desde a coleta de fotos aéreas do planeta até a expansão da internet para locais mais remotos do mundo como parte do Project Loon.

6. Automação de casas

Em janeiro de 2014, o Google comprou a Nest Labs, uma empresa especializada em automação residencial, em um negócio de US$ 3,2 bilhões.

O que ela faz: A Nest é conhecida por fabricar alarmes de incêndio e termostatos inteligentes que podem ser controlados remotamente com o auxílio de smartphones. Após a aquisição, a Nest continuou operando de forma independente, sob sua própria marca, e já anunciou diversos novos parceiros para seu programa de desenvolvimento “Works with Nest”. O projeto incentiva empresas a desenvolverem aparelhos para casas inteligentes e que sejam compatíveis com a linha Nest.

Integração: A Nest opera como uma empresa independente sob a administração da Alphabet.

7. Robôs humanoides criados para o Pentágono

Em dezembro de 2013, o Google comprou a Boston Dynamics, uma empresa de engenharia de Massachusetts fundada em 1992 por estudantes do MIT.

O que ela faz: A Boston Dynamics é especializada na fabricação de robôs humanoides que trabalha diretamente com o Pentágono e a Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa dos Estados Unidos (DARPA). A Sony também é um dos clientes da organização que desenvolve o cão-robô Aibo. Entre as principais criações da BN está o Cheetah (leopardo, em português), que atinge a velocidade de 46,6 quilômetros por hora – mais rápido que o medalhista olímpico Usain Bolt.

Integração: A Boston Dynamics agora faz parte do Google X, o laboratório semissecreto da empresa que cria inovações tecnológicas muito interessantes (e muitas vezes mirabolantes). O Google X é uma das divisões que será separada do principal negócio do Google como parte de sua reestruturação da Alphabet.

8. Empresa por trás dos efeitos do filme “Gravidade”

Em dezembro de 2013, o Google anunciou a aquisição do estúdio de design e engenharia Bot & Dolly, que cria softwares e hardwares que controlam robôs industriais, e da empresa de design Autofuss.

O que ela faz: A Bot & Dolly combina enormes braços robóticos com softwares personalizados para serem utilizados em filmes e outras instalações de entretenimento. Para criar o efeito da ausência de gravidade no premiado filme “Gravidade”, a empresa usou uma câmera robô com sete eixos chamada Iris, capaz de se mover a 38 km/h em torno da atriz Sandra Bullock. A câmera robô programável pesa duas toneladas e conseguia girar 360 graus.
Interação: Google X

9. Robôs que atuam em ambientes cotidianos

Em 2013, a gigante da Internet adquiriu a Meka Robotics, empresa fundada em 2006 por dois importantes nomes da Ciência da Computação e Inteligência Artificial, Aaron Edsinger e Jeff Weber. Na ocasião da compra da Meka, o Google também adquiriu a Redwood Robotics, uma joint venture formada pela própria Meka Robotics e outras duas empresas do ramo: Willow Garage e SRI International.   

O que ela faz: A Meka se especializou no desenvolvimento de robôs humanoides que já ocupam postos de trabalho ao lado de seres humanos em ambientes cotidianos, incluindo fábricas e laboratórios de pesquisa. A Meka também criou o Dreamer, um robô superfofo com olhos e orelhas expressivos (os olhos foram inspirados em animes e as orelhas em filhotes de cachorro). O Dreamer foi projetado para trabalhar entre as pessoas.

Integração: Agora a Meka também faz parte do Google X.

10. Robôs que sobem escadas

No final de 2013, durante sua grande rodada de compras relacionadas à robótica, o Google adquiriu também a SCHAFT, uma empresa privada japonesa.

O que ela faz: A SCHAFT ficou conhecida em 2013 por vencer o Desafio de Robótica da DARPA, uma competição promovida pela Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa dos Estados Unidos que envolve uma série de desafios para as máquinas. O robô bípede da SCHAFT pesa 213 kg, mede 1,46m de altura e é capaz de passear em terrenos acidentados e também subir escadas.
Integração: Google X

Via canaltech.com.br